domingo, março 19, 2017

Romances sem Palavras - 5 - Paul Verlaine - Tradução Eric Ponty




Sua alegre som, indesejável de um cravo.
Petrus Borel.

O piano tocado com uma mão tão frágil
Brilha rosa e cinza da noite vagamente,
Embora com um ruído da asa muito leve
Um bom e velho, muito fraco e charmoso,
Ronda discreta, já quase que depurada,
Para o boudoir longo perfumado dela.

O que é, que de repente, tornar-se berço
Lento acarinha (afaga) meu pobre ser?
O que gosta de mim, música chata doce?

Que tu querias, afinal incerto coro
Que às vezes vão morrer até pela janela
Abra um pouco sobre do pequeno jardim?
Paul Verlaine - Tradução Eric Ponty

Nenhum comentário: