sábado, junho 10, 2017

albatrozes - Charles Baudelaire - Tradução Eric Ponty



Às vezes, ao esporte, os homens equipes vadiar
Colocam-se os grandes albatrozes do profundo,
Os companheiros indolentes seu cruzeiro
Quão através da amarga vastidão, eles varrem.

Pouco pescaram a bordo esses reis frescos
Quando impotentes em pisos tão destreinados,
Lastimosos caem suas enormes asas brancas
Trate-os seus lados quão reboques à deriva.

Quão de cômico, quão de feio e tão manso
Aparece esse aumento das neves celestiais!
Um, com o cachimbo, provoca o bico dourado,
Um, mancando, zomba aleijado enquanto ele vai.

O poeta, como este monarca destas nuvens,
Desprezando os arqueiros, monta a tempestade.
Mas, encalhado na terra para multidões,
Grandes asas do gigante balançam sua marcha.
Charles Baudelaire – Tradução Eric Ponty

Nenhum comentário: